segunda-feira, 20 de junho de 2016

E N C O N T T R O

   Perder-se é o caminho mais autêntico para qualquer lugar. Eu já estive perdido inúmeras vezes e em cada uma delas, encontrei algo que me serviu como uma luva, ainda que eu não precisasse de luvas. Mas, um dia faria frio. Eu espero...
   Me encontrei com um estrangeiro e conversamos um pouco. Ele não se lembra deste encontro, aliás, não se lembra de muita coisa. Não dá importância a muita coisa, tem uma bagagem tão leve, que pesa todo o céu na aba de seu chapéu. Foi num velório.O velório de sua mãe, aliás. Eu nunca me esqueço de nada. Uma mácula incurável, que alivia e corta minhas memórias tão frescas. 
    "Eu sinto muito por sua mãe" - Comentei retirando o chapéu. 
    "Sente, é? Entendo" - Respondeu sem me olhar. 
   "Vocês não viviam juntos?" - Perguntei após um longo suspiro.
   "Sim, não... Na mesma casa, não. No mesmo planeta, sim. Talvez no mesmo mundo" - Ele sorriu e acariciou a testa da falecida. Eu baixei a cabeça em luto. 
   "Nós nos conhecemos de algum lugar?" - O homem apoiou as mãos em meu ombro e me fitou profundo nos olhos. 
   "Eu sou um viajante" - Respondi com convicção. Ele me olhou outra vez e pareceu confiante.
   "Eu sou passageiro de outra condução, mas ela não passa por aqui" - Os olhos percorriam todo o meu corpo. Ele continuou:
   "Sabia que duas pessoas só se encontram verdadeiramente quando estão completamente perdidas. É a lei dos encontros. Se você se perder, seguirá um caminho que não conhece, sendo assim, um novo caminho que existe apenas naquele momento, enquanto é desconhecido. Outra pessoa que também se perder, poderá encontrá-lo neste caminho. É em uma despedida que se faz um encontro"
  "Para quem está perdido, qualquer caminho serve, como disse o Gato à Alice" - Respondi.
  "Para quem está perdido, tudo é um caminho, mas não parece ser" - Ele fitou o rosto da falecida mãe e aterrissou os olhares em mim. Eu estava levemente constrangido com tamanhos e longos olhares. 
  "Preciso ir. Minha viagem é longa" - Me despedi.
  "Tão longa que chamamos de vida... Tão curta que só se vive uma vez" 

Nenhum comentário:

Postar um comentário